NOTICIAS COOPERFIBRA

Algodão: produtores aguardam aprovação de três variedades transgênicas

Os produtores de algodão aguardam que, em 2017, haja a liberação pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) de três novas tecnologias em OGM para a cultura. Todas elas trazem eventos combinados, como tolerância a herbicidas e resistência a insetos (lagartas). A próxima reunião da CTNBio está agendada para os dias 08 e 09 de fevereiro.

Desde 2005, a CTNBio liberou 13 tecnologias transgênicas de algodão, sendo a última em 2016, após uma lacuna de quatro anos. Trata-se da Bollgard III x Roundup Ready Flex, tolerante ao herbicida glifosato e resistente a insetos (lagartas). De 1998, quando foi liberada a primeira soja transgênica no país, até 2016, CTNBio liberou a comercialização de 67 tecnologias geneticamente modificadas, entre soja, milho e algodão.

Depois de, aproximadamente, dez anos de pesquisas e investimentos em torno de US$150 milhões, em média, os obtentores das tecnologias desenvolvem em campo cada variedade por mais dois anos, até completarem o dossiê, que é submetido à CTNBio. Na Comissão, pela lei brasileira, são necessários 90 dias para a emissão de um parecer. “Na prática, o tempo médio tem sido de 18 meses a 24 meses”, explica o consultor técnico da Abrapa, Edivandro Seron.

As três novas tecnologias que devem chegar ao mercado, quando aprovadas pela CTNBio, foram submetidas pela Monsanto (tolerante aos herbicidas dicamba e glufosinato de amônio); Bayer (resistente a insetos e tolerante aos herbicidas glifosato e glufosinato de amônio) e Dow AgroSciences (resistente a lagartas e tolerante ao glufosinato de amônio).

Por SF Agro (contato@sfarming.com.br)

 

Institucional

Quem Somos
Nossa História
Unidades Cooperfibra
Conselhos

Serviços

Guarda de Insumos
Info. de Mercado
Comercialização
Exportação
Beneficiamento
Classificação

Imprensa

Notícias
Contato
Informativos
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos

Endereço

Sede Administrativa
Rua T, 000
Campo Verde/MT
CEP: 78840-000
(66) 3419-0000

Cooperfibra – Todos Direitos Reservados