NOTICIAS COOPERFIBRA

Cresce a área cultivada com algodão no país

As folhas molhadas são a alegria dos produtores. 2018 tem sido um ano de boa distribuição de chuvas no oeste da Bahia. Seu Jair Wigliss é gerente de uma fazenda que fica em Riachão das Neves. Lá a lavoura de algodão mais que dobrou; saiu de 8 mil para 18 mil hectares. A cultura ocupa um espaço que antes era destinado ao milho e que, segundo ele, não está compensando.

Com o algodão, a projeção de preço é de R$ 98 a arroba; um aumento de 9% em relação ao ano passado. Com isso a área plantada com algodão cresceu 32% em todo o estado. E se o preço tá bom, a lavoura tá respondendo melhor ainda.

Flores do algodoeiro viram as chamadas maçãs do algodão. São delas que saem a pluma. Quanto mais flores, mais maçãs e mais produtividade. A expectativa é que a Bahia possa colher esse ano mais de 1,2 milhão de toneladas entre pluma e caroço, superando em quase 25% a última safra.

Em Mato Grosso, maior produtor nacional de algodão, a área também aumentou quase 19% (18,9%) em relação à safra passada.

Os bons preços atraem o produtor. A cotação da pluma no estado chega a mais de R$ 82 por arroba (R$ 84,31) para entrega do algodão em julho. O agricultor Canísio Froelich cultivou 3200 hectares na fazenda em Primavera do Leste está confiante em uma maior produtividade.

O plantio foi feito com base numa excelente expectativa de colheita. A previsão é de mais ou menos 400 arrobas de algodão em caroço por hectare. Enquanto na safra passada foram 350 arrobas.

A expectativa agora é para que o tempo colabore com o desenvolvimento das plantas. “Nós precisamos de sol e chuva também, porém não chuva exagerada, porque começa apodrecer as primeiras maçãs que tá se formando já”, disse o agricultor Canísio Froelich.

A previsão de safra gera expectativa no campo e também na indústria. Visitamos uma algodoeira no período de manutenção nas máquinas que vão entrar em operação em mais ou menos 3 meses. Foram comprados dois novos descaroçadores, que são equipamentos que separam a pluma do caroço.

“A gente tá fazendo expansão de 30% na nossa capacidade de beneficiamento de algodão. A gente vai sair de 10 mil hectares, para 13 mil hectares de capacidade de beneficiamento”, diz o proprietário da algodoeira Dirceu Fernando.

A área plantada com algodão aumentou quase 22% no país.

GLOBO RURAL

Institucional

Quem Somos
Nossa História
Unidades Cooperfibra
Conselhos

Serviços

Guarda de Insumos
Info. de Mercado
Comercialização
Exportação
Beneficiamento
Classificação

Imprensa

Notícias
Contato
Informativos
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos

Endereço

Sede Administrativa
Rua T, 000
Campo Verde/MT
CEP: 78840-000
(66) 3419-0000

Cooperfibra – Todos Direitos Reservados